Ética e respeito na hipnose - Rafael Baltresca

HipnoBlog

Ética e respeito na hipnose

by ohipnologo

Já escutei diversas definições da palavra ÉTICA. O Google, por exemplo, diz assim: “Parte da filosofia responsável pela investigação dos princípios que motivam, distorcem, disciplinam o comportamento humano, refletindo a respeito da essência das normas, valores e exortações presentes em qualquer realidade social.” Entendeu? Nem eu.

A explicação é muito confusa para um termo que deveria ser simples. Como queremos que sigam um conceito que nem ao menos entendem?

Foi num curso de desenvolvimento humano, lá na @amanakeyoficial, que ouvi uma professora explicar de uma forma tão simples que chega a incomodar. Olha só: “Ético é fazer algo que seja bom para você, para o outro, para todos.”. Só isso!

Quando falamos de moral, a definição é outra. Atirar uma flecha no pescoço de alguém na Av. Paulista é crime. Você vai preso. Já, em uma antiga aldeia indígena, é super cool. Viu só? Nesse caso, o ato de matar depende de cultura, costumes, regras. E isto tem a ver com moral. Nada a ver com ética.

O que é ético transcende época, cultura ou estilo de vida. Novamente, ético é algo que é bom para você, para o outro, para todos. Vamos lá: flechada no pescoço é bom para quem a leva? Não, então, não é ético. Nem aqui e nem na Pataxó.

Agora ficou muito mais simples. Na hipnoterapia, qualquer abuso moral, sexual ou intervenções psicológicas que, de alguma forma, prejudiquem alguém é ANTI-ÉTICO e deve ser punido. Em apresentações de hipnose de palco, fazer algo com alguém que você não gostaria que fizessem com sua mãe, irmã, pai ou filho, vai contra os princípios éticos que citamos acima. Facilitar para que alguém seja humilhado, ridicularizado ou, por mais simples que seja, promover um ato que faça a pessoa se sentir menosprezada também é ANTI-ÉTICO.

A regra é simples, meu bruxo, pergunte-se: “Gostaria que fosse comigo?”, “Tudo bem se fizessem em alguém que amo?”, “Contaria para meus filhos com orgulho?”. Se a resposta foi SIM para todas as perguntas, o ato está na área da ética. Aí, a flechada está liberada. No caso, nem em humano e nem em passarinho. Se for em um alvo de madeira, tudo bem.

Lembre-se: o mais importante no ato de hipnose é a pessoa que está sendo hipnotizada.

Rafael Baltresca

Trabalha como palestrante desde 2001 e com hipnose desde 2007. É um apaixonado pela arte de hipnotizar e um dia ainda vai te fazer dormir...

Secured By miniOrange